Caso do maníaco

Nem vou colocar o nome desta pessoa aqui. Também não queria falar mais sobre este assunto.

Não escrevi nada até o momento, mas já discuti isso muito.

Interessante como a imprensa e algumas pessoas resolveram agora “traçar” o perfil psicológico deste assassino.

E o pior de tudo, é que isto será a desculpa para ele ter comprado uma arma, ter ido até o local e matado as crianças.

E o que ele realmente é, um frio assassino não valerá mais nada.

A culpa será da sociedade e por ele ter resolvido ler o “alcorão”. Como se ler ou ser islâmico fosse motivo para alguém sair matando outras pessoas.

Como sempre coloco em minha palestras. Ter uma religão é uma coisa, ser fundamentalista é outra.

É a mesma coisa com torcedores. A culpa não é do time por um idiota pegar uma madeira e matar outro. Não é da camisa que ele veste.

É dele! As pessoas foram chamadas para verem e se divertirem com uma partida. Vão e se matam porque querem. Leiam com atenção: vão e se matam porque querem!

Culpa os árabes agora é como culpar os Japoneses logo após a Segunda Guerra por tudo. Todo povo alemão era taxado – e ainda é -, de nazistas.

Aqui no Brasil, imigrantes do intitulado “eixo do mal”, foram colocados em campos de concentração. Leiam o livro “Corações Sujos” e verão uma triste realidade nacional.

De repente, o mundo todo é santo e apenas os árabes são os demonios. Calma lá.

Quem invade outros países? Quem dita regras de como devemos viver?

São os árabes? Acho que não.

Dizem que os chineses são um povo triste. Por que? Pelo que saiba, os chineses não são contra seu regime.

Por que temos a tendência de achar que o mundo deve viver segundo minha visão?

Lembrem-se que no Reino Unido, católicos e protestantes não podem viver em um mesmo bairro. Isto mesmo, não sabia? Nunca ouviram falar no IRA?

Mortes e carros bombas eram coisas comuns até o 11 de setembro.

E a luta entre os povos bascos? Na Espanha atentados para a divisão do país são comuns.

Até o final do século XVIII, a Igreja Católica matava qualquer um que não fosse “cristão”. Se você não é da minha religião, é pagão.

Temos vários exemplos de morte pela fé. Existem os fundamentalistas islâmicos? Sim, existem.

Assim como existem protestantes e católicos que ensinaram Sadam Hussein a assassinar centenas de outros árabes. Assim como existiu protestantes e católicos que inventaram a bomba atômica.

Como aquele que em nome de “Deus”, pois ele estava do “nosso” lado, jogou a bomba.

Ou como dito por George W. Bush, que “Deus” estava ao lado dos americanos nesta Guerra.

Não existe o certo ou errado. Infelizmente a história está do lado do vencedor e do mais poderoso.

A história é escrita por estas pessoas. Alguém já analisou de uma maneira fria o que Hitler fez pela Alemanha? O que Napoleão fez pela França?

Foram assassinos frios? Sim, foram. Nada justifica os atos.

Mas hoje, nossos líderes são tão diferentes destes antigos todos poderosos? Ou só porque possuem o poder da imprensa na mão, são os corretos?

Aprendam a abrir os olhos. A cultura islamica, a árabe em geral é linda. É uma cultura mais do que milenar.

A matemática, a filosofia, os primeiros códigos de leis, foram criados por eles. O Egito é a civilização mais antiga.

Usamos tantas coisas árabes aqui neste país. Comemos a esfiha, o kibe, pagamos em prestação. Tudo inventado pelos árabes.

Então, em vez de criticar e achar desculpas, porque ninguém olha para nosso Congresso que continua a nos roubar dia e noite? Por que em vez de quebrar nossos meios de transporte e pixar o muro do estádio, não se juntam e vão lutar por nossos direitos onde se deve?

A tendência do governo (saúde, educação e segurança), é em utilzar a imprensa para fugir do assunto que interessa. Seus erros, a sua falta com o povo.

E o povo cai. A imprensa segue o que é sugerido.

Como somos cãezinhos…

Anúncios
Categorias: Trilhas | Deixe um comentário

How can I go on

Como posso continuar

Enquanto todo o sal é retirado do mar
Eu permaneço destronado
Eu estou nu e sangrando
E quando você apontar-me seu dedo tão selvagemente
E não houver ninguém para acreditar em mim
Para ouvir meu apelo e cuidar de mim?

 

Como posso continuar?
a partir de hoje?
Quem pode me fortalecer em todos os caminhos?
Onde posso estar seguro?
Onde posso permanecer?
Neste imenso mundo de tristeza
Como posso esquecer?
Aqueles lindos sonhos que compartilhamos
Eles estão perdidos e não há como encontrá-los!
Como posso ir em frente?

 

Algumas vezes eu tremo na escuridão
Eu não consigo ver
Quando as pessoas me assustam
Eu tento esconder-me bem longe da multidão
E não há ninguém lá para me confortar
Senhor Ouve meu apelo e cuida de mim
Categorias: Trilhas | 1 Comentário

Dia da Marmota

Já faz um bom tempo que não escrevo um conto. Já faz um bom tempo que não escrevo nada que preste. Acho que cai na mesmice de muitos blogs. Até que curtia o que escrevia.

Pensamentos, algum tipo de opinião, ou seja, algo mais agradável de voltar e reler.

O que o cansaço não faz conosco. E não só o cansaço. Mas também viver o mesmo dia todos os dias. Parece filme de ficção no estilo “O dia da Marmota”, que não lembro o nome original em inglês.

É algo para se aprender com este tipo de filme, além do mocinho chato terminar com a mocinha bacana.

Exato, cheio de clichês. Mas neste caso um clichê até que legal.

Estou vivendo meu Dia da Marmota há muito tempo. A cada dia velho, faço as mesmas coisas, mesmo que queira fazer diferente.

Tomo decisões muitas vezes por apenas tomar. Sem me importar, já que estou preso na rotina. Sou realmente o cara chato. O vilão da história que precisa aprender a ser bonzinho e terminar com a mocinha no final.

Ou encontrar meus três fantasmas para me darem aquele safanão e encontrar no final das contas alguém bacana para sorrir comigo.

E tantos outros milhares de filmes, livros e qualquer coisa que lembrem neste momento.

Mas a vida não é um filme. Não é um livro ou um conto de fadas.

Sim, porque não queremos e não forçamos que seja. Nós a tornamos dificil e impossível.

Impomos leis da física e conceitos sociais que apenas nos deprimem. Chato isso.

Agora falta saber, se finalmente vou sair do meu Dia da Marmota… amanhã, ou hoje, ou ontem, quem sabe, eu tenha a resposta.

E que suba o letreiro, até a próxima!

Em tempo

Fui no lançamento do livro do José Roberto Vieira, O Baronato de Shoan. O pessoal Steampunk estava por lá.

Além do Adriano Siqueira. Bom rever um pessoal alegre e que sabe se divertir.

E o livro? To lendo e gostando!

Categorias: Trilhas | Deixe um comentário

De volta

É sempre bom ter para onde voltar. Minha Fortaleza, só minha e apenas minha.

E quantas minha rs. O projeto está de vento em popa, mas como sempre, a dependência de outras pessoas me enlouquece. Este final de semana se não pintar mais uma reunião – como odeio tantas reuniões -, vou sumir. Principalmente se na segunda não sair o que estou esperando de resposta positiva.

Daí… ah, daí vou sumir, colocar a cabeça dentro do chão e desaparecer durante uma semana. Isso não tiver um ataque esta noite. Minha cabeça começou a doer e já to precisando de um pano para o nariz.

É só vir pra cá e já começa. Deixa ir.

Categorias: Trilhas | Deixe um comentário

50%

Uma das coisas que mais detesto é depender de uma outra pessoa. Tudo demora, as coisas não acontecem.

Mas deixe estar, compadecer, ficar, qualquer coisa que termine com “R”.

Isso é o que chamo de 50%. Uma parte depende de mim, o problema é sempre os outros 50%.

Ontem tivemos o Dia do Fã, mudando de assunto radicalmente. Foi um belo evento. Fantasiados de todos os tipos.

Tirei muita foto. Fiz muitos contatos e reacendi outros que estavam perdidos por aí. Mas o mais legal, foi sem dúvida alguma o pessoal do Steampunk. A Leona Volpe estava fantástica no modelo Vitoriano dela.

Outro que fez a festa foi o Igor “Darth Maul”. Como sempre, impecável no seu modelo de Star Wars. E rimos muito com o Gomez, Mortiça e “Mãozinha”. Os três jogaram até sei lá o nome do jogo com os dedos.

E as crianças! Estas fazem a alegria de um evento. Ficam dislumbradas com todos e com tudo.

O pessoal do Twilight estava com os livros da “Marcada” que consegui errar e chamar de “Atrevida”. Choro de riso entre o pessoal.

O mais legal foi falar com o Adriano Siqueira e finalmente conseguir contar sobre um livro de Vampiros que ele não conheça! Pois é… a Irmandade da Adaga Negra irá ganhar mais um seguidor logo logo.

E falei tanto do livro, que uma das meninas que é fã disse que irá me nomear o Hellren dela (rs). Daí parei, a olhei e ela:

– Sim, sou fã… do Z!

Como ri. Eita vampiro para ter tantas fãs. E acabei descobrindo que ela leu vários livros que também curto. E isso é o bom em eventos deste tipo.

Encontrar pessoas que gostam do que você curte! Que se divirtam um dia todo sem medo do que irão falar.

Diversão e amizades garantidas. E da-lhe e-mails no outro dia, fotos em blogs, orkuts, facebooks e tudo mais.

E depois disso tudo, volta, cai na cama e capota.

Categorias: Trilhas | 1 Comentário

Vou e não sei se volto

Como dizem… imagem é tudo. Será que afunda?

“A morte parece menos terrível quando se está cansado.”
– Simone de Beauvoir

Categorias: Trilhas | Deixe um comentário

Nada o que dizer

Bastante tempo que não escrevo. A semana foi boa. Teve coisas ruins, mas a grande maioria agradáveis. Termino a sexta-feira com boas e ruins. A vida é sempre assim.

Sábado chegou. Mais um dia se foi. Outro nasce. O que ele nos reserva? Não sei.

O corpo está cansado agora. Não estava até um tempo atrás. Deixei alguém chateado. Sou assim, imprestável para este tipo de coisa.

Chateio fácil as pessoas, as deixo nervosa. É… se amanhã… o que?

É… deixe estar. Chega por hoje, chega. Vou dormir.

Categorias: Trilhas | Deixe um comentário

Ventos do sul

Fico imaginando um mundo.

Mas que mundo, se o que vejo sempre são tantas mentiras.

Tento imaginar um mundo de pessoas alegres, sinceras e olhares de esperança.

Mas para que esperança, se este mundo que imagino é utópico?

Alguém chora do lado de fora. Ou será dentro de mim?

Uma canção de ninar ao longe. Uma chuva lava meu corpo.

Ventos vem do sul.

Danço ao som de uma música que não sei de onde vem.

Rodopio e sinto o chão molhado frio aos meus pés.

Minha alma clama. A chama não se apaga.

Lave minhas lágrimas… lave meu corpo.

Rasgo minha camisa, deixo as gotas escorrerem pelo meu corpo.

Meu coração bate? Porque não posso abrir os olhos?

Tenho medo do que verei, ou apenas não quero enchergar?

Não é tudo a mesma coisa?

A canção continua. Um ritimo que me mantém a sonhar com um mundo melhor.

De onde vim? Para onde vou?

Porque me sinto sozinho… é a resposta.

Onde você está agora?

Não me deixe sozinho aqui com os ventos do sul.

Categorias: Projeto Rain | Deixe um comentário

Sexta… uhuuuu

Chegou! E com ela grandes novidades. Uma que não darei mais aulas aos domingos! Vou dormir até, descansar, jogar video game… ou seja, DESCANSAR mesmo!

E as coisas, parte profissional, vão de vento em popa! Algumas coisas demoram a sair. Mas saem.

E o restante está dando tudo certo! Estou… feliz… gratificado, qualquer coisa.

Mas acho que o principal agora, é porque vou descansar aos domingos. Lógico que tem outros motivos também, sempre tem.

Este final de semana terei mais coisas que irão contar e muito para o futuro. E darão certo! Com certeza.

Estou ajudando com o SOS Japão (www.sosjapao.org). Doando meu tempo e trabalho com a assessoria de imprensa. Como descendente e ser humano, me sinto mais do que na obrigação de ajudar.

Ontem teve a Missa em homenagem as vitimas. Presença da NHK (TV Japonesa), Globo (News, SPTV, O Globo), Bandeirantes, Isto É, UOL entre outros.

A Missa foi como uma Missa. Só que budista. As cerimônias budistas são muito bonitas. E tudo em Japones.

O trabalho está sendo bem executado. Dia 26 e 27 deve acontecer o bazar para angariarmos dinheiro para envio para as províncias atingidas pelo Terremoto e o Tsunami.

Acho bom deixar algo claro. Por que não pedimos comida e roupa?

Simples. Quanto tempo levará para enviar a comida e a roupa? Já pensaram que a comida pode estragar? E mais, o Japão é uma ilha. Isolada.

E não é toda alimentação que pode entrar no país. Alguns dos alimentos que o Brasil possui, como carne bouvina, é proíbida a importação.

E mais. O Brasil exporta 60% dos produtos para o Japão. Sendo que 50% é minério. O restante em alimentação.

Já as roupas… convenhamos! Pagar pelo transporte sai muito mais caro. Não é só pegar e colocar no avião e pronto.

Existe um custo para isso, assim como a comida. É mais barato para o japones pegar um avião e ir até a China e comprar roupa e comida do que esperar que saia do Brasil.

Mas o que desejamos não é o dinheiro. E sim a solidariedade.

Não quer doar dinheiro, sem problema. Apenas apareça na festa. Faça um tsuru, envie boas energias, ore… não importa o que faça. Mas faça.

Menos ficar agora dizendo que japones é matador de golfinhos e baleias. Tudo bem, sabemos que eles fazem isso.

Mas iremos generalizar um povo por atos de seus governantes ou alguns?

Então vamos olhar bem para nosso quintal. Quantas pessoas no Rio precisaram de ajuda humanitária e os chamaos “humanos” começaram a vender galões de água por R$ 15,00, sendo que normalmente vale R$ 5,00!

E a nossa pesca predatória para vender outros países? O extermínio de espécies no pantanal ou na amazonia para o bem de pastos?

Vamos continuar? Então vamos generalizar. SOMOS TODOS ASSASSINOS.

Sim, somos! Porque foi por culpa do japones, de acordo com uma “arte” feita em São Paulo, que aconteceu o Tsunami.

Mas vamos diferenciar também o chamado “final dos tempos”. Escuto cada besteira sobre isso.

O mundo está acabando! Uau! Sim, porque morreram muitas pessoas no Rio, Paraná, Santa Catarina e assim por diante.

Não é por culpa da natureza ou castigo divino. Aqui sim é culpa do homem.

Simples modificação da natureza. Entramos e acabamos com as florestas. Desta maneira, o solo fica sem força, ou seja, erosão e tantos outros problemas que a falta de “alimento” na terra irá trazer.

Está aí. A culpa é do próprio ser humano. Não há nada de culpa divina neste caso.

E se for, desculpe, mas não quero acreditar em um Deus vingativo. Não está escrito que “Deus é Amor”?

Se é “amor”, como ele pode ser “vingativo”? Não entendo.

Assim como não entendo tantas outras coisas feitas em nome do “senhor”.

Mais para frente colocarei mais pontos de vista a respeito dos problemas reais do Japão e não as idiotices que estão sendo ditas na mídia e pelas pessoas.

Abaixo mapa do Japão para vocês localizarem os locais onde aconteceram as tragédias. Destaco que o problema com a usina, é no lado nordeste. Do outro lado, Mar do Japão, está tudo tranquilo. Como no sul. A tão famosa nuvem atomica irá se dissipar. Não irá trazer um inverno nuclear. Que por sinal, é inverno no Japão. Nada a ver com o problema atômico! Gente, saber Geografia nunca fez mal para ninguém!

Categorias: Trilhas | 1 Comentário

Fortaleza

Perfeito. Pensei que iria conseguir ficar sem vir aqui. Pelo visto não. Tem horas que precisamos desabafar e fazer isso com quem?

Com o espelho aqui na frente, mais conhecido como blog.

O trabalho com o SOS Japão está rendendo bastante. Site pronto, parte de assessoria de imprensa indo bem, o pessoal gostando do trabalho.

Voluntário, nada de cobrar. Mas acho que irá surtir algo. Espero que sim.

Sábado a noite irei para uma reunião de projeto. Desta vez já está pronto. Devo fazer apenas um trabalho de consultor. Novo trabalho.

Tudo correndo bem na parte profissional. Menos na escola. Por lá, na luta todo dia.

E mesmo com tantas coisas boas estou irritado. Tomei um murro ontem que ainda está doendo. Deveria ter ficado irritado com a pessoa que me falou na cara, mas não consigo. Devo ter problema mental, sei lá.

Temos dessas de vez em quando. Fora as idiotices que tive que ler do meu irmão, mas deixe pra lá.

Acho que só escrever um pouco aqui já me fez sentir um pouco melhor. De resto, muito cansaço.

Faz tempo que não paro. Hoje de novo troquei o dia da semana e o nome de um aluno. Ainda bem que eles me acham louco. Muito bom.

Recebi um convite para ir embora para o Japão. Interessante, enquanto tentamos trazer o pessoal de lá, recebo um convite para ir para ajudar na parte de assessoria. Se tivessem feito esse convite ontem, teria dito não na hora. Nem pensaria duas vezes.

Hoje… a mesma coisa. Não sou maluco de ir para lá agora. As coisas estão bem feias por lá. Alertas e mais alertas. Mas não vou dizer nunca irei. Não sabemos o dia de amanhã.

E continuo aqui, com tanta gente do lado e ao mesmo tempo sempre sozinho.

Não estou chorando. Longe disso! Apenas que uma hora as pessoas se cansam de você. Normal… comigo.

As coisas que dão erradas realmente são culpas minha. Preciso aprender a ser frio, anti-pático, mentiroso, aquele cara que toda mulher ama de paixão e os homens gostam de ter como amigo.

Apenas casca. Ou será que eu que sou casca e não consigo ver isso?

Sei lá. Estou chateado mesmo. Pelo menos hoje alguém me disse algo que fiquei parado sem reação.

Na hora de ir embora disse “preciso ir porque tenho que dar aula, valeu a conversa.” E a pessoa me respondeu “não vá.” Só isso.

Não esperava, sinceridade essa reação. Nada de amor ou “flex”. Só foi que achei legal alguém dizer essas palavras.

Já escutei um tempo atrás e gostava de saber que a pessoa curtia falar comigo. Só que as pessoas se cansam, mais precisamente do meu jeito e do meu papo.

Por isso curto vir aqui na minha Fortaleza da Solidão. E por isso mudei o nome do blog, novamente rs.

Não vivo mais no limite, vivo… apenas moro na minha Fortaleza. Interessante ter lembrado dela esta noite. Era o nome da minha cabana escondida em um terreno baldio quando criança. Fortaleza da Solidão.

Ia para lá cada vez que tomava uns tapas em casa ou estava simplesmente a fim de ficar sozinho.

Com o tempo minha Fortaleza foi tomando novos rumos. Mas sempre esteve comigo. Hoje é aqui e um local que gosto de ir para ficar apenas sentado, olhando o mundo passar. É bom, relaxante.

Me faz ficar sem pensar. E ficar sem pensar e sem lembrar… não sei. Melhor ficar na Fortaleza.

E ir dormir, porque estou péssimo do estomago e com dor de cabeça. Hora de fazer o que odeio, tomar algo.

Categorias: Trilhas | 1 Comentário

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.